Janeiro 21 2021

O jornal Público de 22 de dezembro de 2020 tinha na rúbrica Escrito na Pedra uma frase do genial Fernando Pessoa. Está escrito que “O Homem não sabe mais do que os outros animais: sabe menos. Eles sabem o que precisam saber. Nós não”. Aos poetas permitem-se sempre todos os erros, como é o caso. Se provas fossem necessárias de que até as mentes mais geniais podem produzir as maiores asneiras, este seria um deles. Se os animais soubessem o que precisam de saber, como se deixariam controlar, comer e, às vezes, até extinguir por ação de outros animais ou do homem? Além disso, só um homem poderia dizer que não sabe tudo o que precisa de saber. Esse é o princípio do verdadeiro conhecimento, a consciência dos seus próprios limites.

Outro grande pensador nosso contemporâneo, Noval Harari, escreve nas suas 21 lições para o Século XXI que um caçador-recoletor da idade da pedra lascada sabia mais do que nós. Sabia de onde tinha vindo o seu almoço, porque ele próprio o tinha recolhido, caçado ou pescado; quem lhe tinha feito os mocassins, porque dormia com essa pessoa, e onde estava o seu seguro de velhice, o filho que brinca ao seu redor. Nós não sabemos quem fabricou os nossos sapatos, nem quem produziu e transportou até nós os alimentos que consumimos, e ainda menos como se gerem os fundos de pensões. Mas sabemos mesmo menos? O cérebro é o mesmo, é certo. Mas a vida é de tal modo mais complexa que, se na nossa memória coletiva não se tivessem acumulado biliões de informações que usamos no nosso dia a dia, viveríamos como os animais domésticos totalmente dependentes do dono. E isso não queremos, pois não? Então vamos lá usar este magnífico cérebro que com que a natureza nos equipou para fazermos mais do que alguma vez podem fazer os animais e para superarmos o medo permanente em que viviam os nossos antepassados longínquos, porque é esse medo que nos faz procurar refúgio nos tiranos.

publicado por cafe-vila-franca às 11:22

No Café Vila Franca, como nos cafés da trilogia de Álvaro Guerra, os personagens descrevem, interpretam e debatem a pequena história quotidiana da sua terra e, com visão própria, o curso da grande história de todo o mundo.
mais sobre mim
Janeiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15

17
18
19
20
22

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
blogs SAPO